Capacidade

Esta área baseia-se na premissa de que os Provedores de Serviços de Navegação Aérea (PSNA) devem explorar a CAPACIDADE disponível do sistema para atender à demanda de usuários do espaço aéreo, minimizando eventuais restrições sobre o fluxo de tráfego aéreo nos horários de alta demanda.

A seguir, são apresentados os indicadores de performance ATM referentes à Capacidade Declarada de Chegada (KPI09), Taxa Pico de Chegada (KPI10) e Relação entre Demanda e Capacidade de Pista dos principais aeroportos brasileiros, bem como o indicador de Capacidade do Espaço Aéreo (KPI06).

Capacidade Declarada de Chegada

 

A Capacidade Declarada de Chegada (KPI09) é o indicador que mede o número de pousos que um aeroporto deve observar ao realizar o planejamento das operações de chegada. Este indicador é utilizado pelo Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) nas análises de capacidade e demanda, visando à manutenção da eficiência das operações aéreas.

O Gráfico a seguir apresenta as capacidades declaradas de chegada dos principais aeroportos brasileiros.

Para informações mais detalhadas, consulte o painel “Taxa Pico e Capacidade”, na aba PRODUTOS – “Painéis de Indicadores – Dashboards.”

Taxa Pico de Chegada do Aeroporto

 

A Taxa Pico de Chegada do Aeroporto (KPI10) é um indicador de performance ATM que mede a quantidade de pousos processados no aeroporto nas suas “horas-pico”, ou seja, nas faixas horárias de maior demanda. A metodologia enumera todas as faixas horárias do aeroporto, organizando desde a que registrou o maior número de pousos até aquela com o menor número de pousos, e considera que o valor da taxa-pico é o 95º percentil dessa amostra.

O Gráfico a seguir apresenta os valores de taxa-pico dos principais aeroportos do Brasil a cada mês, com base nos dados extraídos pelo TATIC FLOW (sistema auxiliar dos órgãos de gerenciamento de fluxo de tráfego aéreo no monitoramento da evolução dos tráfegos nos aeródromos – alocado no CGNA).

Para informações mais detalhadas, consulte o painel “Taxa Pico e Capacidade”, na aba PRODUTOS – “Painéis de Indicadores – Dashboards.”

Relação entre Demanda e a Capacidade de Pista

 

A Relação entre Demanda e a Capacidade de Pista é um indicador de performance ATM que mede a taxa de pouso do aeroporto (demanda acomodada) comparada com a capacidade ou demanda estimada, o que for menor, indicando a capacidade de gerenciamento do Provedor de Serviço de Navegação Aérea (PSNA).

O Gráfico a seguir apresenta os valores desta relação dos principais aeroportos do Brasil a cada mês, com base nos dados extraídos pelo TATIC FLOW (sistema auxiliar dos órgãos de gerenciamento de fluxo de tráfego aéreo no monitoramento da evolução dos tráfegos nos aeródromos – alocado no CGNA).

Capacidade do Espaço Aéreo

 

A Capacidade do Espaço Aéreo (KPI06) é o indicador que mede o volume de aeronaves que um Setor de Controle de Tráfego Aéreo (ATC) é capaz de processar no período de uma hora, também conhecida como Capacidade Horária do Setor (CHS). No mapa a seguir são apresentados os valores de Número de Referência (N_REF) e Número Pico (N_PICO) de todos os Setores ATC dos cinco Centros de Controle de Área (ACC) do Brasil.

O N_REF expressa o número ótimo de aeronaves em controle simultâneo que um determinado Setor ATC é capaz de manter por um período de tempo, sem que, em momento algum, esse número de aeronaves controladas simultaneamente provoque uma sobrecarga de trabalho para o Controlador de Tráfego Aéreo (ATCO). Deve-se levar em conta que a capacidade calculada de um Setor é o N_REF.

O N_PICO é a capacidade de controle simultâneo que um determinado Setor ATC tem condições de manter, por no máximo 19 (dezenove) minutos (contínuos ou não) no intervalo de uma hora, a fim de atender um aumento de demanda de curta duração. Durante esse período, o ATCO experimentará uma sobrecarga de trabalho controlada. Caso se observe que tal situação tenda a se prolongar, medidas de Gerenciamento de Fluxo de Tráfego Aéreo (ATFM) deverão ser tomadas.

A mensagem “Sem Informação” será apresentada para os Setores caracterizados pela alta flexibilidade e dinamismo de agrupamento, não possuindo N_REF e N_PICO quando considerados isoladamente.